segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Por onde têm andado os Sapatos?

Alguém muito querido me lembrou da existência deste espaço (baldio) virtual. E, 

que ideia sedutora! 

passei umas boas horas a analisar os passos destes Sapatos desde a última década.

década?! Década e 4 meses para ser mais precisa. 

Foi um doce reencontro com modas passadas _ ténis, havaianas, sandaloca, salto agulha, mulles, botifarra_ mas a parte irónica da moda é que os ciclos se repetem, ou não fosse a criatividade humana um recurso que perfidamente escasseia, e eu que o diga! Mas não falemos nela (a criati...), que ela tem andado com problemas de auto-estima, o que é normal nos artistas, principalmente nos baratos.  Falemos antes de modas e de passos dados por estes sapatos, numa tentativa 

espero eu que não manifestamente forçada, mas é assim a vida, ler isto ainda é de borla

de lhes dar corda.


Ora com sapato de sola sapateia-se alto e energicamente pelos corredores da Medicina, ainda no início do corredor mas já se vendo a entrada a uma distância considerável. Eu não sou grande dançarina como alguns de vós sabeis, mas desta dança gosto eu. Tenho aprendido alguns passos, aperfeiçoado outros tantos...passos que me consomem muito mas esta continua a ser a minha dança!

Corro com uns Asics daqueles para alta performance pela minha casa. Partilho a minha sapateira com o R., homem que muito me ama e atura, e com a T., a luzinha cá de casa que é a coisa mais espetacular que nos aconteceu. Eu nunca me safei nos sprints, mas em maratonas aguento que se farta. E digamos que este é o espaço ideal para gastar energia, em adaptações familiares, novas aprendizagens, novas rotinas, ao sabor do crescimento desta menina. Digo-vos que é cansativo...mas apaixonante!

Com uns chinelos de enfiar no dedo vou chinelando muito tropegamente pela cozinha. Às vezes tropeço, confesso, e só tenho pena porque era o meu segundo hobbie preferido a seguir a escrever. Mas melhores dias virão, dias mais disponíveis. Enquanto não acontece, impera nesta casa a Culinária de Sobrevivência, muito a meias com o R., que é a minha cara metade também na cozinha! Em dias de festa e feriados lá sai qualquer coisa mais cativante!

Com pés de chumbo (porque não estou a ver outra comparação mais fiel) vou treinando, o que ainda me liberta algum stress mas ao mesmo tempo aponta o dedo e enfia uma unhada nas miseráveis supra-renais, que já só vão cuspindo o cortisol de tempos a tempos. Um minuto de silêncio por elas as duas, obrigada.

Posto isto, acho que consegui justificar a ausência neste cyberbaldio. Cinco parágrafos depois (e depois de cinco horas de insónias com isto entalado), sinto-me melhor do que nunca! Isto faz-me falta! Está dado o primeiro passo para uma grande rentreé. Vamos repovoar isto?


Este espaço também é vosso! Quero ver os vossos braços no ar!!!


Sem comentários: