quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Au point

desespero

s. m.,
desesperação;
angústia.



Se ao menos tudo fosse certo como a matemática…É que na vida uma soma não é tão soma como o é algebricamente e uma subtracção subtrai números, subtrai vidas, subtrai tudo e a diferença é sempre tão ou mais inexacta como equações indeterminadas mas faz mais diferença do que um rabisco numa quadrícula. Dividir e ter resto zero é algo fictício e os divisores são favorecidos em detrimento de dividendos. Conjunção não existe na prática para dar lugar à disjunção cada vez mais presente ou trivial ou frequente ou comum ou, ou, ou... As tabelas de verdade são tão verdadeiras como a própria falsidade. O impossível não é objectivamente detectável como 1=2 é uma proposição falsa e o equivalente não implica precisão, ou não fosse a semelhança a candidata mais obstinada a ser igual. E é apenas na vida que os números imaginários têm lógica_ para substituir o espaço do que é impossível. No papel são uma molhada de is sem ponta de nexo que gritam das quadrículas “Eu sou irreal e posso fazer coisas que os outros não fazem, ouviste?”.

O sexto copo de Baden Powell assim o ditou. O primeiro alicia um segundo e o segundo seduz um terceiro. O quarto é pecado e o quinto já só escorrega. O sexto é fatal. Herdade do Esporão, quinze graus de devaneio, sete decilitros e meio de uma viagem pelos caminhos mais sinuosos que a Lógica alguma vez viu.


Também tenho direito aos meus pontos de descontinuidade…

3 comentários:

Murtosa disse...

eu enquadro-me nessas inequaçoes da vida ...

sinceramente tb vou buscar a esse nectar do baco mts vezes a fugaz flor que à tona se vê ... e sim é verdade k se desespera ... maldita alma k mais nao sabe senão estar em paz ...e em k cada um mais feliz é kanto menos pensa e vê... kanto menos sabe e interage com estes meandros manhosos k a vida nos proporciona! se por vezes pudêssemos deixar-nos ficar deitados nas esteiras dos sonhos ...
como akele menino imaculado k hj nasce .. tao sereno .. mas com um mundo tao grande às suas costas ! desespero .. diria k seria o seu fado ... no entanto sorri ... k estraño =\


se bem k hj ñ é dia pra isso .. de certa maneira tb a minha alma se turba nesse inegmático rodopio de emoçoes e sentimentos ... muitas vezes bem longe do paradigma do amor !



e como agora já ñ há farças lolol aki assino e subescrevo .. gostar mt deste espaço .. pla profundidade k dá .. e o alento k nos cria !

Agostinho Manuel PInho de Oliveira =)

com desejos de um óptimo e próspero feliz Natal .. regado nao pelas banalidades da vida .. mas por este contínuo trabo a herdades do esporão e nao só k se vão degustando no nosso palato como do sabor do céu se trata-se ... ao menos isso nos faça escrever e sonhar ser capazes!

Nemo disse...

Caro Murtosa... Devo informa-lo de que enigmático, subscrevo, farsas e se tratasse, correspondem à forma correcta de escrita das suas calinadas "inegmático", "subescrevo", "farças" e "se trata-se", respectivamente...
Para mais informações contacte Nemo & Ressacas...
Despeço-me cordialmente com o desejo de um Feliz (e ortograficamente correcto) Ano Novo...

Felix disse...

ora.. Seis copinhos vezes quinze graus de devaneio... Pelas minhas contas só dá um terço de caminho sinuoso! A não ser que se somem umas calçadas irrequietas ou se dividam mais umas garrafas... Nesse caso.. não há contas que lhe valham ;) Força com os copinhos e abaixo com as contas!! PÊ CÊ PÊ!!!! lolol



Partilho bem o teu desespero, mas troco os motivos por uma boa dose de direitos.. E isto sou eu a ter direito aos meus pontos de descontinuidade! Beijinhoo**